Ilusões

KayaharaOs que ainda não conhecem a dançarina de Kayahara devem conferir. Trata-se da imagem virtual de uma dançarina em movimento que em determinado momento parece estar girando no sentido horário para, no momento seguinte, girar no sentido oposto, mudando, curiosamente, a cada instante e de acordo com o observador.

Ela foi criada em 2003 pelo web designer japonês Nobuyuki Kayahara e rodou mundo por conta de internautas da “pseudopsicologia” que juravam que o sentido do giro da dançarina indicava se a pessoa era mais emocional ou racional ou qual o lado do cérebro que mais utilizava, um pretenso teste psicológico.

Na verdade trata-se de uma ilusão óptica cinética bi-estável. Não fui muito claro, não é? Pois bem, entende-se por ilusão óptica uma percepção visual que diverge da realidade. Ela pode ser considerada cinética e bi-estável quando a imagem em movimento “engana” o sistema visual humano provocando duas distintas interpretações, girar no sentido horário ou anti-horário no caso da nossa animada dançarina.

A ilusão é provocada pela ausência de referência de profundidade e pela silueta preta, que impedem identificarmos a lateralidade e a posição dos membros enquanto a dançarina roda. Genial!

Apesar de algumas pessoas terem maior dificuldade para inverter o giro, uma dica é fixar o olhar imediatamente à direita ou à esquerda da imagem, sem olhar diretamente para ela, experimente (www.procreo.jp/labo.html).

Pesquisadores da Universidade de Queensland na Austrália observaram que pacientes portadores de Transtorno do Humor Bipolar (antes conhecido como Psicose Maníaco Depressiva ou PMD) apresentavam uma maior lentidão em testes de reversão de padrão da ilusão óptica, observação também publicada recentemente em pacientes com Esquizofrenia. No entanto, esses achados não foram replicados nem ainda confirmados por evidências científicas definitivas.

A busca por marcadores biológicos ou testes que permitam o diagnóstico laboratorial das doenças psiquiátricas é uma antiga aspiração de médicos e pesquisadores da área, no entanto, embora tenhamos caminhado bastante, ainda há muito por vir.

Desejo ao leitor um excelente dia, só depois da dançarina, antes pode ser arriscado. Nos vemos na Comunidade Aprender Criança

Back to top